Segunda-feira :: 26 / 06 / 2017

Además Notícias | Arte por dia | Enem 2014 | Livros grátis | Cadastre-se | MAPA DEL SITIO

Guia do Calouro: saiba como encarar o primeiro ano na universidade


 

 

Guia do Calouro


Depois de tanto tempo estudando em horários rígidos e com atividades impostas, o estudante do Ensino Médio quando chega a faculdade ganha autonomia num universo muito mais amplo. A liberdade que vem com vida universitária traz consigo a necessidade de iniciativa. Ninguém fará a apresentação formal de cada parte do campus e nem obrigará os estudantes a participar de todas as atividades potencialmente úteis para seu desenvolvimento. Por isso, nessa etapa, aumenta a importância de tomar a iniciativa para aprender e conhecer pessoas e lugares.

 

 

Verônica Brayner, coordenadora-geral de graduação da Unicap (Universidade Católica de Pernambuco) afirma que, ao entrar na faculdade, o estudante tem de tomar consciência de que começa sua carreira. "A preparação profissional superior contempla um conjunto de elementos que formam um profissional mais maduro, com perspectiva geral de diversas áreas", declara ela, que acrescenta que o aprendizado extrapola a sala de aula e aumenta a importância das relações sociais.

 

Na opinião de Fernanda Vieira Silva, coordenadora do Departamento de Ingresso e Registro da UERGS (Universidade Estadual do Rio Grande do Sul), o ensino na graduação é teórico e só tem serventia se aliada à prática. E ela destaca que para que isso aconteça o estudante precisa "correr atrás". "Dentro da sala de aula ele não vai ver nem 10% do que precisa para ser um bom profissional. Muita coisa só é aprendida na prática. E, para isso, tem de saber se relacionar com as pessoas. É assim que ele vai viver sua história na faculdade", acredita a coordenadora.

 

Ponto fundamental defendido por Fernanda é o de que para tomar consciência, o estudante precisa deixar de enxergar o ensino como obrigatório e passar a encarar a experiência como algo que deseja, a partir de seu próprio ponto de vista, e não mais o dos outros, sejam eles os pais ou os professores. "Não existe mais o professor indo atrás do aluno. É o aluno que tem de se interessar e pesquisar os assuntos que são do seu interesse", diz a coordenadora.

 

Confira nas figuras abaixo algumas dicas sobre o funcionamento e a serventia de alguns locais comuns no campus universitário e que trazem boas oportunidades para os estudantes:

 

 


Secretaria

Esse departamento da faculdade concentra todos os processos burocráticos pelos quais os alunos passam ao longo da graduação. É na secretaria que será feita a matrícula, solicitação de atestados, os trâmites do estágio e até a resolução de problemas relacionados a dívidas com mensalidades, por exemplo. Para orientações gerais sobre o funcionamento da faculdade, os direitos e deveres dos alunos, as secretarias costumam oferecer o manual do aluno. Também será na secretaria que, ao final do curso, o aluno deverá solicitar o diploma de conclusão do curso.

Voltar ao topo

Coordenação de curso

O coordenador é o responsável pela montagem e gestão de todo o curso. Ele também atua junto aos alunos, com contribuição em diversos aspectos, desde conflitos até na orientação profissional e pedagógica. Costuma ser o professor mais próximo dos alunos e que faz a intermediação entre a instituição e a sala de aula no que diz respeito às decisões que envolvem professores, grade curricular e eventos em geral. "O aluno tem de saber o que a universidade oferece em termos pedagógicos, de lazer e culturais. E o coordenador é o ponto central de informações", diz Verônica Brayner, coordenadora-geral de graduação da Unicap (Universidade Católica de Pernambuco).

Voltar ao topo

Laboratório de informática

O local permite que os alunos desenvolvam atividades práticas de aula, façam trabalhos, pesquisas, leiam notícias e até, em alguns casos, acessem os e-mails. "Também tem função de ampliar o repertório do aluno, além de auxiliar no ensino a distância", afirma o professor André Passareli, coordenador do curso de odontologia da Universidade Metodista. Muitas vezes, o acesso a esses laboratórios é liberado para alunos fora do horário de aula. Como normalmente não há uma sala de informática específica para cada curso, é possível conhecer pessoas de outros cursos e outros anos nesse espaço.

Voltar ao topo

Biblioteca

Logo nos primeiros dias de aula, o calouro precisa descobrir onde fica a biblioteca de sua faculdade e como ela funciona. Algumas vezes é necessário fazer ficha para poder tomar materiais emprestados. Lembre-se que as bibliotecas têm regulamento próprio que definem regras de uso, de empréstimo, devolução e multas. Além da importância acadêmica da biblioteca, como fonte de informações sobre o conteúdo dado em sala de aula, é nela que os estudantes podem se aprofundar em assuntos de seu interesse e conhecer a bibliografia dos professores. A maioria dos livros pedidos em sala de aula está à disposição na biblioteca. Aqueles que querem acesso a conteúdos complementares àquele dado em classe ou buscar fontes alternativas de informação, tanto para seu programa regular, quanto para matérias complementares, encontram na biblioteca quantidades abundantes de fontes de informação.

Voltar ao topo

Laboratório prático

As características desse tipo de laboratório dependem da atividade que é desenvolvida nele. Por isso, geralmente, concentram pessoas de determinado curso ou, no máximo, de determinada área do conhecimento. Permite que os alunos desenvolvam a parte prática dos conteúdos teóricos apreendidos em sala de aula. Algumas instituições selecionam alunos para trabalhar nesses locais, com a função de orientar os demais alunos do curso sobre os procedimentos realizados ali.

Voltar ao topo

Diretório Acadêmico

Organizado pelos próprios alunos, esse espaço pode ser conhecido também pelas siglas D.A. ou C.A. (Centro Acadêmico). É importante conhecer e freqüentar o Diretório porque ele é responsável pela representatividade dos direitos dos alunos. É nele que são organizados e promovidos os debates a respeito de assuntos de interesse da comunidade acadêmica. O Diretório também é um importante espaço de integração, principalmente por concentrar alunos de diversos cursos e por organizar atividades culturais e de lazer. Os responsáveis por essa estrutura são eleitos pelos próprios alunos.

Voltar ao topo

Atlética

Quem pratica algum esporte e deseja jogar no time da faculdade, terá de ir obrigatoriamente à Atlética, que concentra todas as atividades esportivas, inclusive os horários e locais de treinos. É possível fazer parte da comissão da Atlética. Para tanto, o estudante terá de se candidatar quando houver eleições. Mesmo para aqueles que não são esportistas, a Atlética pode ajudar. Além de reunir alunos em geral, esse departamento também organiza eventos esportivos e festas. O departamento também costuma fabricar roupas e assessórios com as cores e logomarcas que a faculdade usa nas competições de que participa.

Voltar ao topo

Setor de cópias

Grande parte dos textos usados em sala de aula pelos professores e leituras complementares podem ser encontrados nesse departamento. Ali, os docentes costumam manter uma pasta para cada matéria que lecionam contendo o material que pode ser copiado e usado pelos estudantes. Basta informar o nome do professor e - caso ele lecione mais de uma matéria - a disciplina que cursa para ter acesso ao acervo desejado. O aluno não deve esperar que alguém faça isso por ele. Geralmente, os professores citam determinado material e avisam que o mesmo encontra-se a disposição para cópia no setor de cópias. Cabe ao aluno obter sua cópia.

Voltar ao topo

Arredores

As cercanias de uma faculdade geralmente atraem o funcionamento de restaurantes, livrarias, cinemas, teatros, bares e, até mesmo, uma central de cópias com preços menores que os da faculdade. Com o tempo, o estudante deve procurar conhecer melhor o que existe ao redor do prédio onde estuda. E, além de ser possível realizar reuniões de trabalho nos estabelecimentos próximos à faculdade, é importante ir aos lugares com os colegas para intensificar o relacionamento com as pessoas fora da sala de aula e até manter conversas menos formais com professores. Esse relacionamento, além de ser construtivo para a vivência universitária, pode até ser o embrião para uma rede de contatos dentro da futura profissão.

Voltar ao topo

 


Imprimir Imprimir Enviar a um amigo Enviar amigo PDF PDF

Partilhar: Delicious Digg Facebook Googlebookmarks Meneame Tecnorati Wikio Yahoo

Publicidade